AVALIAÇÃO FÍSICA

O treinamento físico,

incluindo o treinamento resistido (musculação), é capaz de promover mudanças importantes na composição corporal, como a redução da massa ou da porcentagem de gordura, além do aumento da massa muscular.

Front Image

Diversos métodos são comumente usados para se determinar a composição corporal, e variam desde a pesagem hidrostática e DEXA, até a balança de bioimpedância, dobras cutâneas, entre outros.

 

A avaliação física é um processo interpretativo, que consiste na coleta de dados quantitativos e/ou qualitativos e na interpretação dessas informações com base em referenciais previamente definidos.

 

É possível identificar limitações, doenças e prioritariamente a condição e aptidão física atual do avaliado, além de sua anatomia. Os dados coletados também servirão como parâmetro para a prescrição de seus treinos de maneira mais especializada/individualizada, conforme resultados obtidos e objetivos. 

 

Os testes avaliativos devem ser realizados periodicamente (recomendamos entre 60 e 90 dias) em prazos combinados com seu professor/treinador e sempre comparados ao anterior, para descobrir se ocorreram melhorias ou perdas, tanto no aspecto condicional (qualidade do sono, disposição para as tarefas cotidianas, estado de humor e ansiedade) como no físico (percentual de gordura, IMC, circunferências, medidas antropométricas e etc.).

 

REFERÊNCIAS:

KRAEMER, William J.; FLECK, Steven J. Otimizando o treinamento de força: programas de periodização não linear. Manole, 2009.

GUEDES, Dartagnan Pinto. Manual prático para avaliação em educação física. Editora Manole Ltda, 2006.